28 de abr de 2014

Filled Under:

Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Hepatite Viral C e Coinfecções

1 Apresentação
Os medicamentos de ação direta contra o vírus da hepatite C constituem-se na estratégia mais recentemente desenvolvida para o tratamento desse agravo. Os primeiros antivirais de ação direta são o boceprevir (BOC) e o telaprevir (TVR), que pertencem à classe de inibidores da protease (IP). Esses medicamentos foram registrados na Anvisa, tendo o Conitec aprovado sua incorporação ao arsenal terapêutico do SUS.Ambos são utilizados em associação com alfapeginterferona e ribavirina – PEG-IFN + RBV (PR), constituindo assim uma terapia tripla (PR + IP).

Não existem estudos publicados que tenham comparado o boceprevir e o telaprevir de forma direta. Ambos os medicamentos possuem características farmacológicas distintas e foram empregados em diferentes estratégias de tratamento nos ensaios clínicos utilizados para seu registro em diversos países, incluindo o Brasil.A aprovação desses IP foi concedida exclusivamente para monoinfectados pelo genótipo 1 do HCV e com fibrose avançada (Metavir F3 e F4) ou cirrose hepática compensada (Child-Pugh ≤ 6), de acordo com a Portaria n° 20, de 25 de julho de 2012, SCTIE/MS, que incorporou essa nova tecnologia ao SUS.

Este documento tem como meta fornecer aos profissionais de saúde recomendações atualizadas e baseadas nas melhores evidências científicas disponíveis, de modo sistemático e transparente, como proposto pelo “Oxford Centre for Evidence-Based Medicine”. Também foram levadas em consideração a opinião de especialistas e as ações programáticas do Ministério da Saúde, baseadas no uso racional de medicamentos com abordagem técnica adequada.

Para todas as situações não contempladas neste Suplemento, permanecem em vigor as recomendações do Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Hepatite Viral C e Coinfecções, versão de julho de 2011, aprovado pela Portaria n° 221, de 13 de julho de 2011 – SVS/MS.

Suplemento 1

Data de Publicação: 14/03/2013
Descrição: Complemento do Protocolo que trata especificamente do manejo do paciente infectado cronicamente pelo genótipo 1 do HCV e fibrose avançada.

Suplemento 2 

Data da Publicação: 26/09/2013

Versão final – Protocolo Clínico
Data de Publicação: 28/07/2011
Descrição: Este protocolo apresenta as recomendações do Ministério da Saúde para a abordagem clínica e terapêutica dos portadores da hepatite C, instrumentalizando os profissionais para o manejo das principais situações encontradas na rotina do atendimento. As recomendações foram consensuais entre os membros do Comitê Técnico Assessor, com exceção da utilização da resposta virológica rápida (RVR).

Versão Final

Errata: A versão do Protocolo publicada em 18/07/2011, de maio de 2011, sofreu algumas alterações por ocasião da primeira reunião do Comitê Técnico Assessor para o Controle das Hepatites Virais – SVS-MS, nos dias 27 e 28/7/2011. Com isso, estamos publicando a versão final, julho de 2011, com as alterações recomendadas na referida reunião. As alterações estão grifadas em amarelo:
  • Biópsia hepática: pág. 31;
  • Tratamento nos genótipos 2 e 3: págs. 40 e 41;
  • Coinfecção HIV-HCV: pág. 46;
  • Coinfecção HCV-HBV: pág. 49;
  • Pacientes pediátricos. pág. 48 à 54;
  • “Evento adverso”: págs. 7, 28, 58, 67, 68, 71 e 76.
Fonte: Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais

0 comentários:

Postar um comentário