17 de out de 2010

Filled Under: ,

A importância da vacina da hepatite B - Quem deve ser vacinado?

Lembramos que todas as pessoas com problemas no fígado, em especial as infectadas com a hepatite C, devem tomar a vacina para prevenir a hepatite B caso não apresentem anticorpos de defesa contra o vírus. Quem já possui um problema no fígado poderá desenvolver um dano muito mais grave caso se contamine com a hepatite B, acelerando a progressão para a cirrose ou o câncer.

A hepatite B e transmitida por sangue contaminada e especialmente pela relação sexual. A hepatite B se transmite sexualmente até cem vezes mais facilmente que a AIDS. Mães infectadas transmitem a hepatite B aos filhos no momento do parto.

Para conseguir a correta prevenção são necessárias três doses da vacina, com intervalos de 30 dias e 180 dias para a terceira. Pessoas de maior idade ou com baixa imunidade podem ter uma resposta imune menor, assim será necessário realizar um teste de imunidade após a aplicação da terceira dose e, se necessário, deverá ser dado um reforço da vacina com mais três doses.

Os efeitos colaterais da vacina podem ser uma pequena dor no local da aplicação e uma sensação leve de febre. Reações alérgicas severas são raras de acontecer.

Atualmente, no Brasil, a vacina da hepatite B se encontra disponível gratuitamente em todos os postos de saúde para crianças, jovens e adolescentes até 19 anos de idade. Mulheres grávidas também têm direito a vacina da hepatite B. É obrigatória a vacinação de todas as crianças nas primeiras horas após o parto. Crianças de mães positivas para hepatite B com HbsAg positivo devem tomar a vacina imediatamente após o parto e se possível imunoglobulina, eliminando assim a cronificação da doença na criança.

Os seguintes grupos de pessoas deveriam considerar seriamente ser vacinados para prevenir a hepatite B:

- Indivíduos com problemas no fígado;
- Infectados com a hepatite C;
- Indivíduos HIV positivos;
- Hemofílicos;
- Doentes renais em hemodiálise;
- Homens e mulheres com múltiplos parceiros sexuais;
- Homens que fazem sexo com homens;
- Usuários de drogas injetáveis;
- Moradores da mesma residência onde mora um infectado crônico pela hepatite B;
- Profissionais da saúde, dentistas, trabalhadores em hospitais e consultórios médicos e os para-médicos;
- Presidiários;
- Pessoas em risco de exposição a sangue, como policiais, militares, bombeiros, guardas municipais, trabalhadores de coleta de lixo, profissionais de tatuagem, acupuntura, colocadores de piercings, lutadores de boxe ou praticantes de esportes onde possam existir ferimentos, etc.
- Toda pessoa ou individuo que possa apresentar riscos de uma eventual contaminação.

Precauções simples, como o uso de camisinha na relação sexual e o uso de luvas de borracha são excelentes formas de evitar um eventual contagio com a hepatite B.

Campanhas de informação divulgando os benefícios da vacina para prevenir a hepatite B e o encorajamento da vacinação dos pacientes pelos médicos deveriam ser constantes para evitar novas infecções.

Informações do Grupo Otimismo de Apoio a Portadores de Hepatite - WWW.HEPATO.COM

Carlos Varaldo
Grupo Otimismo

0 comentários:

Postar um comentário